BlogEra de Saturno: entenda mudanças que virão nos próximos 36 anos

https://euniceferrari.com.br/wp-content/uploads/2018/03/post_12-1280x800.jpg

No dia 20 de março de 2017, saímos da Era Solar, em que o Universo foi regido pelo Sol por 36 anos, e entramos no ciclo de Saturno, onde estaremos, agora, pelos próximos 33 anos. Já se passaram 3 anos de regência de Saturno, mas neste ano, 2020, ele, nosso grande Mestre, Senhor do tempo, mostrou que as lições que temos que aprender com sua passagem, devem ser um pouco mais severas.

Já ficou bem claro para muitos de nós, que seremos obrigados a deixar cair muitas máscaras e isso pode não ser muito fácil, especialmente para os nascidos entre 20 de março de 1981 e 19 de março de 2017. Os nascidos nessa época, são filhos do Sol e devem aprender as qualidades desse luminar. A sociedade ensinou-os a viver nas sombras e agora devem encontrar a si mesmos, compreender quem realmente são em profundidade. Um mergulho deve ser feito, em busca do contato com emoções profundas, seguido da transformação.

Até o dia 19 de março de 2017, vivemos o narcisismo da Era Solar, que nos trouxe alguns males. Veja a seguir.

Imagem acima de tudo:
Como indivíduos, tivemos um investimento excessivo na imagem. O narcisismo empurra as pessoas a preocupar-se mais com a imagem do que com os seus próprios sentimentos. Agindo “sem sentimentos”, tornamo-nos sedutores e manipuladores, para obtermos poder e controle. Nos tornamos egocêntricos, voltados para os próprios interesses, mas carentes de valores emocionais verdadeiros. Sem um sentido mais profundo de “si mesmo”, vivemos a vida de maneira vazia

Na necessidade de sermos perfeitos, mas na aparência, vamos nos aperfeiçoando detalhadamente: no corpo, com as plásticas, silicones, preenchimentos, tratamentos a laser e no sexo perfeito, automatizado, distante das emoções. Robôs autômatos e guiados pelas exigências sociais.

Sociedade dividida:
Como sociedade, podemos entender o narcisismo como a perda de valores humanos: ausência de interesse pelo meio ambiente, pela qualidade de vida, pelos semelhantes. Uma sociedade que sacrifica o meio ambiente em nome do lucro e do poder e mostra absoluta falta de sensibilidade humana.

O mundo material ocupa lugar superior à sabedoria, à experiência humana. O sucesso é mais importante que o respeito a si mesmo e à dignidade. Vivemos na superficialidade e, nesse movimento, vamos nos dividindo entre o que somos realmente e nosso sucesso pessoal e social. Dessa maneira, nossa frustração, ansiedade e sentimento de vazio só crescem.

Neste momento, somos ou fomos obrigados a ser eficientes em tudo?

Com uma vida cada vez mais vazia, nos distanciamos mais de nossa humanidade. O objetivo principal é a eficiência. É necessário e quase vital sermos eficientes em tudo. Ser humano incorre em erros, falhas, faltas. Mas caminhamos distantes da ternura, da compaixão, da verdadeira solidariedade.

E quanto mais forte e eficiente for sua imagem, maior o reconhecimento. Quanto maior seu status social, mais aplausos você recebe.

E o que determina esse reconhecimento?

O poder que você conquista, seja pela sua beleza, capacidade de não envelhecer, ter uma boa colocação no mercado de trabalho, trabalhar em uma empresa de porte e sucesso.

Devemos ou devíamos de ser felizes e realizados?

Esse é outro mal que a Era Solar nos trouxe, escondido em sua sombra: a felicidade como dever. E os laboratórios enriquecem cada vez mais exatamente por isso. Milhões de comprimidinhos mágicos, criadores de felicidade. Perdemos o fio, nos perdemos nas imagens adequadas para alcançarmos objetivos que, na maioria das vezes não são nossos.

Máscaras irreais. Chegou a hora de derrubá-las?

Criamos uma máscara social que se mistura à pessoal, até que começamos a sufocar. E quando isso acontece, pode ser tarde demais para retirá-la.

A Era Solar foi construída sobre bases frágeis, pois há um grau enorme de irrealidade nela e em todos nós, que nos deixamos levar, seduzidos pela nossa vaidade. As bases sociais narcisistas devem cair por terra e junto com elas, toda irrealidade individual, coletiva e social. A irrealidade é neurótica, mas pode também ser psicótica. Existe muito de loucura nesta sociedade que criamos e vivemos e, nós mesmos, não estamos dando conta dela. Não sabemos mais viver nela.

E agora? É hora de o Universo colocar ordem na casa? Será que já começou a colocar?

Neste final de ciclo que vivemos agora, precisamos refletir sobre o que nos levou a criar algo tão irreal e compreender as causas culturais e pessoais que nos levaram a isso. O que aconteceu conosco, para um distanciamento tão severo de nossas emoções e sentimentos? Para um distanciamento tão severo de nós mesmos?

Saturno traz regras e é exigente

Saturno é um deus conservador, que preza pelo cumprimento das leis, normas e regras.

Será que chegou a hora de começarmos a ressignificar nossos valores?

Uso a palavra ressignificar e não ressucitar, pois o processo evolutivo da humanidade caminha para a frente. Uma séria ressignificação de valores, inexistentes nas últimas décadas, será necessária. Mas nunca a retomada dos antigos, pois não fariam mais sentido, depois de tantas conquistas.

O símbolo de Saturno é uma caveira com uma foice nas mãos, o que significa que, assim que ele começa a derramar suas energias sobre nós, haverá uma tendência a ceifar tudo o que não serve mais para o nosso processo evolutivo.

A maneira que isso iria acontecer, não tínhamos como prever em 2017, quando este texto foi escrito e agora, ressignificado para este momento. Na época, disse que poderia ser através de pequenas ações pontuais ou algo que envolvesse uma grande parte da sociedade ou ela toda.

Agora, em meio à pandemia do coronavírus e de possíveis provações que estão por vir, conseguimos entender a mensagem de Saturno, para que um novo passo evolutivo seja dado coletivamente. O que virá depois disto? Só o tempo poderá nos dar essa resposta.

Saturno nos ensina, a seu modo, a nos adaptarmos a uma nova maneira de viver. temos nos adaptado à sua força e exigência e começamos a buscar por alguma ordem dentro de nós mesmos. É claro que a ordem chega apenas depois de viver-se o caos…essa é a regra. Os processos emocionais se tornam mais profundos e todos os que evitaram o contato consigo mesmos podem sofrer um pouco mais em meio a tantas transições.

Saturno não é só disciplina, é também expansão da consciência

Saturno é conhecido como o Senhor do Carma, isso porque ele simboliza um processo psíquico mais profundo, que brota com algum tipo de experiência, interior e/ou exterior. Saturno não simboliza apenas os limites, a dor, as exigências, a disciplina, os obstáculos, mas como processo psíquico, está atrelado à ampliação ou expansão da consciência de todos nós como indivíduos e como humanidade.

Nossa psique caminha na direção da unidade, do verdadeiro ser. E tudo o que tem impedido que essa expansão de consciência aconteça, será ceifado, dentro e fora de nós. Enquanto ignoramos nossos processos psíquicos, nossas necessidades mais profundas na direção de nós mesmos, o carma continuará se manifestando. Saturno é o nó que precisamos desatar, para darmos passos à frente, para compreendermos de maneira aprofundada quem somos, verdadeiramente.

Temos à nossa frente, mais 33 anos, que devem ser vivenciados com a maior consciência possível, com responsabilidade por nossos comportamentos, pensamentos, palavras e ações e, dessa maneira, crescermos todos juntos, como humanidade que somos e cada um de nós faz parte.

É importante lembrarmos que as circunstâncias exteriores de nossas vidas são, na verdade, mudanças psíquicas interiores por que passamos e sofremos. A psique, como um todo, é uma energia dinâmica, que está por trás de todo acontecimento para o nosso desenvolvimento e crescimento.

Quando passamos por nossos processos psíquicos, de alguma maneira, seja através de uma psicoterapia profunda, da meditação disciplinada ou alguma outra forma que nos empurre para nós mesmos, precisamos estar plenamente conscientes desses processos. Caso contrário, nos tornamos marionetes nas mãos do destino, Carma, ou seja qual for o nome que você queira dar para tudo isso, tudo o que temos passado.

A consciência é nosso melhor caminho, mas não a consciência superficial. É necessário o mergulho emocional, para chegarmos no que existe de mais profundo em nós. Somente através da descortinação do véu que encobre nosso verdadeiro “eu” poderemos viver a transformação necessária, que este ciclo de Saturno exigirá de todos nós.

É hora de arregaçarmos nossas mangas e trabalharmos duro na direção do crescimento e evolução de todos nós, com indivíduos e como humanidade.

Por Eunice Ferrari, astróloga e psicoterapeuta, texto escrito em 2017 e repaginado para os dias de hoje.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Redes Sociais